Skip to content

Letra e Vídeo

Literatura musical

“I’m losin some sleep No company I’d rather keep”

                              The Supreme Beings of Leisure

Sozinha como sempre e para sempre.

Assim espero! 

Pois o homem é uma ilha. Com pontes. Ilha ligada ao continente. A mulher é uma ilha com naus que só saem para visitar a terra firme flutuando sobre a água, que tocam a água. Partem em contato com e conduzidas pela leveza, pela instabilidade de correntes marinhas desavisadas, ventos violentos e eventuais coberturas de gelo. 

A ponte foi criada porque a água era um empecilho. A nau foi inventada devido à existência da água, única possibilidade de contato. 

A água aceita o ritmo que os diversos fatores externos impõem. Se molda ao corpo arredondado da nau. Flui e faz fluir. É capaz de fluir até os níveis perigosos da psicose. A ponte parece rígida ou resistente e por isso se salva, não quebra. É capaz de se manter normal.  

Agora o fogo destrói o navio que mal saiu da garrafa. (Era daquelas miniaturas construídas com exatidão de detalhes, velas, mastros delgados como fios de cabelo, timão do tamanho de uma unha, e erigido com o delicado puxar de uma linha que atravessa o gargalo.) Havia partido da ludimilha ainda dentro da garrafa, vidro embaçado boiando nas marolas. Agora a perda pode ser total, dependendo da velocidade dos ventos em meio caminho até a ponte mais distante, mas prestes a chegar. 

A ponte se concentra na própria reconstrução, por precaução, antes mesmo da iminência do desastre. Com a certeza de que, após uma eventual reforma, sua nova versão será ainda mais forte, resistente e à prova de ondas impetuosas em tempos de maré alta. Ausência de flexibilidade: falha de engenharia detectada. 

Esse é um retrato barroco do equilíbrio dinâmico entre o homem e a mulher, com tudo o que há de bom e de ruim no conjunto da obra. Reflete as impossibilidades, as distâncias e não tem lugar para promessas. 

FIM 
 

O simbolismo ficaria mais misterioso se considerássemos que, como defendia Jung, há o lado masculino na mulher e vice-versa, mas, depois de um pastel de queijo com coca, não tenho mais estômago para mistérios.

Anúncios

Tags:, ,

%d blogueiros gostam disto: